Projeto Feira Segura, parceria entre Faeg, Senar, CNA e Seapa, é destaque internacional

Você está visualizando atualmente Projeto Feira Segura, parceria entre Faeg, Senar, CNA e Seapa, é destaque internacional

A Associação Norte-Americana de Funcionários dos Transportes das Cidades (Nacto, da sigla em inglês), que reúne as agências de trânsito e transporte das 84 maiores cidades da América do Norte, publicou no dia 21 de maio um documento apontando iniciativas e soluções para a melhoria das cidades, durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O projeto piloto “Feira Segura” para hortifrutigranjeiros, desenvolvido em Goiás, foi a única iniciativa brasileira citada no documento. A ação realizada através de parceria entre o Sistema Faeg Senar, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e das Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa Goiás), aparece no documento intitulado “Streets for Pandemic Response and Recovery” (Ruas para resposta e recuperação da pandemia, na tradução livre) junto a outras iniciativas de todo o mundo que surgem como exemplos de ações para as cidades, no uso das ruas, frente ao enfrentamento da doença e para o pós-pandemia.

“A feira segura, de imediato, virou referência para outros estados que adotaram o modelo. Agora tivemos esse reconhecimento internacional. Isso reforça mais a importância do trabalho do Sistema Faeg/Senar/CNA e Seapa junto à sociedade. Foi uma forma de escoar a produção, principalmente dos pequenos produtores, além de fazer com o que os alimentos chegassem a mesa do consumidor”, reforça Dirceu Borges, superintendente do Senar Goiás.

O modelo lista orientações e medidas de proteção, tanto ao feirante quanto ao consumidor, como preferência por produtos previamente embalados, demarcação para distanciamento das barracas, higienização constante das mãos e utilização de máscaras. Há ainda a possibilidade de instalação de pontos drive thru, onde os consumidores retiram os produtos já encomendados com os produtores e fazem o pagamento sem precisar sair do carro. A Seapa elaborou um Manual de Orientação e Boas Práticas contra o Coronavírus (Covid-19), no qual constam todas as informações necessárias para serem adotadas nas feiras livres de hortifrutigranjeiros em Goiás. Os interessados podem acessar o material pelo site: http://www.agricultura.go.gov.br.

Conforme avalia o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, a inclusão do modelo lançado em Goiás no documento mostra a importância da adoção das boas práticas e de como podem fazer a diferença no combate ao novo coronavírus. “O modelo já era um sucesso por ser estimulado em todo o País pela CNA, junto aos produtores rurais e feirantes, mas agora, com a inclusão entre os exemplos para o mundo todo só reforça que o trabalho do Governo de Goiás e dos seus parceiros é estruturado na busca da melhoria da vida do cidadão. Iniciativas com essa repercussão podem contribuir para evitar o contágio e para salvar vidas”, destaca o secretário.

 “Esse reconhecimento é  importante para  mostrar que nós também temos muito  que ofertar para outros países. Somos um celeiro não só de produção, mas também de boas ideias e iniciativas que sempre frutificam com boas parcerias”, lembra José Mário Schreiner, presidente do Sistema Faeg/Senar e deputado federal.

Junto da iniciativa lançada em Goiás, aparecem ainda soluções como a conversão de faixas em calçadas expandidas ou ciclovias; criação de ruas exclusivas para pedestres ou ruas lentas compartilhadas para a promoção do distanciamento físico; e espaços em calçadas ou na rua para café e refeições ao ar livre. Também aparecem iniciativas para marcação de espaços para filas quanto ao distanciamento para se entrar em comércios ou no transporte coletivo; modelos de zonas de entrega e delivery; espaços de atividades ao ar livre e de comunicação.

Além do Brasil, foram elencadas soluções da Albânia (Tirana), Argentina (Buenos Aires), Bélgica (Bruxelas), França (Paris), Estados Unidos (Alexandria, Brookline, Cincinati, Dallas, Miami, Minneapolis, Oakland, Raleigh, Seatle e Tampa), Itália (Milão), Lituânia (Vilnus), Myanmar (Kalaw), Nova Zelândia (Auckland e Dunedin) e Reino Unido (Londres). A ideia é que governos municipais, estaduais e federais se inspirem nessas iniciativas e compartilhem outras para ajuda mútua.

O documento completo está disponível gratuitamente no link: https://nacto.org/wp-content/uploads/2020/05/NACTO_Streets-for-Pandemic-Response-and-Recovery_2020-05-21.pdf

Comunicação Sistema Faeg/Senar | Foto: Fredox Carvalho

Deixe um comentário