Empresários pedem reabertura de bares e restaurantes em Goiânia

Você está visualizando atualmente Empresários pedem reabertura de bares e restaurantes em Goiânia

Empresários e comerciantes de diversos segmentos vão realizar na próxima quinta-feira (28) uma carreata pedindo a reabertura de comércios, bares e restaurantes em Goiânia. O movimento destaca que salvar empregos também é salvar vidas e que estão prontos para um retorno responsável e seguro das atividades. Cerca de 20 entidades já confirmaram presença na carreta que está marcada para começar no estacionamento do Estádio Serra Dourada às 9h e depois seguem por ruas da capital.

Sindibares e Abrasel são algumas das entidades que confirmaram presença na manifestação e que destacam prejuízos no segmento. Somente no setor de alimentação fora do lar, que estão fechados desde a segunda quinzena de março, algumas empresas tiveram que ser fechadas, outras 3 mil empresas podem fechar portas caso nada seja feito e 12 mil pessoas demitidas. Alguns restaurantes estão funcionando somente no delivery, mas o faturamento representa no máximo 20%. Em Goiás são cerca de 12 mil restaurantes, bares e lanchonetes, 8 mil somente em Goiânia com cerca de 40 mil trabalhadores diretos.

Segundo o presidente da Abrasel-Go, Fernando Jorge, os empresários até então cumpriram todas as medidas, apoiaram o fechamento prevenindo a disseminação do novo coronavírus, mas que agora estão prontos para uma reabertura responsável. Fernando Jorge destaca ainda que empresários já procuram Governo de Goiás e prefeitura de Goiânia buscando diálogo e apresentando medidas para abertura, mas ainda não tiveram um retorno. Uma cartilha (leia aqui) com todas as normas para abertura foi feita com todas as medidas de segurança, seguindo orientações da Organização Mundial da Saúde e por especialistas em saúde.

Para o presidente do Sindibares, Newton Emerson Pereira, a reabertura será consciente e com responsabilidade. Ele explica que os restaurantes já cumprem medidas de higiene e manipulação de alimentos exigidas pela Anvisa e que vão reforçar ainda mais.  Ele destaca que será um novo normal nos estabelecimentos. Entre as mudanças redução das mesas com espaçamento de 2 metros entre elas. Nos restaurantes a quilo, por exemplo, os clientes só poderão se servir com luvas descartáveis (que serão oferecidas pelos restaurantes) e máscaras. Filas serão organizadas para manter o distanciamento entre outras coisas. Para ele os restaurantes estão prontos para seguir protocolos e garantir segurança dos clientes e colaboradores.

PROBLEMA FINANCEIRO É REALIDADE DA MAIORIA DOS ESTABELECIMENTOS

Segundo o presidente da Abrasel-GO, Fernando Jorge, a situação financeira pode ficar pior na próxima semana. É que até então eles estavam cobertos pela medida provisória 936, que começou em março e permitiu redução de salários e horas de trabalho dos colaboradores, mas essa MP encerra na próxima semana. Segundo o presidente da Abrasel-Go os empresários sozinhos não conseguem pagar os salários dos funcionários sem essa ajuda do governo, já que estão sem recursos.

Ele destaca ainda que a maioria dos empresários não conseguiram empréstimos e nem um outro tipo de ajuda do governo estadual e nem municipal. Fernando cita, por exemplo, que a entidade pediu para prefeitura o adiamento do pagamento do IPTU, mas não tiveram respostas.  Além disso os empresários enfrentam problemas para pagar aluguéis e fornecedores.

Deixe um comentário