Coluna do Freitas: COPOM reduz taxa de juros

Você está visualizando atualmente Coluna do Freitas: COPOM reduz taxa de juros
Foto: Reprodução/Senado

Ontem, dia 20 de março foi a tão esperada “super quarta feira”, reuniões aqui no Brasil do COPOM e nos Estados Unidos, reunião do FED, os dois bancos centrais.

A reunião do Banco Central do Brasil de ontem confirmou a previsão do mercado, a taxa de juros básica da economia reduziu de 11,25% para 10,75% ao ano. Esse foi o 6º. corte consecutivo da Selic. A novidade da reunião foi a mensagem de que haverá mais um corte daqui 40 dias de 0,5 ponto e depois desse não ficou muito claro se a redução será menor ou será paralisada o processo de redução dos juros.

Já no FED, Banco Central dos Estados Unidos, também não houve surpresa com relação as expectativas do mercado, o banco manteve as taxas em 5,25% a 5,50% ao ano. Na mensagem do FED houve previsão de três cortes na taxa de juros em 2024.

Tanto no Brasil como nos Estados Unidos, os resultados das reuniões dos bancos centrais trouxeram ânimos aos mercados, a bolsa subiu aqui e nos Estados Unidos.

Agora indo para a economia real, que é o que mais nos interessa, o Banco Central do Brasil divulgou essa semana o IBC-Br, indicador prévio do PIB, o resultado surpreendeu todo o mercado financeiro e economistas. O indicador de janeiro de 2024 foi superior ao indicador de dezembro de 2023 em 0,6% e superior a 3,45% ao indicador de janeiro de 2023. Portanto, em janeiro a economia brasileira, projetando para o ano, já está com o PIB rodando acima de 3%. Acompanharemos os próximos meses, porém, esse indicador demonstra que a previsão dessa coluna começa a ser mais factível, ou seja, crescimento da ordem de 3% para o PIB em 2024.

As projeções realizadas no relatório Focus divulgado no dia 15 de março trouxeram pequenas variações em relação à semana anterior. Para o PIB de 2024 houve crescimento da previsão de 1,78% para 1,80%, houve manutenção das previsões para os anos de 2025, 2026 e 2027 em 2%. Já para a inflação, a previsão de 2024 foi aumentada de 3,77% para 3,79%; 2025 subiu de 3,51% para 3,52% e 2026 e 2027 mantiveram-se as projeções de 3,50%.

As projeções da Taxa Selic mantiveram-se as mesmas, 2024 em 9% e 2025, 2026 e 2027 manutenção da projeção em 8,5%. Com as previsões da Selic e a redução da previsão da inflação para os próximos 12 meses para 3,45 %, antes 3,51%, a taxa de juros reais da economia, calculada pela coluna aumentou para 5,84% ao ano. A taxa prevista para o final do ano, com Selic em torno de 9%, equivalerá taxa de juros reais de 5,36%, ainda acima da taxa de juros reais neutra divulgada pelo Banco Central que é de 4,5%. Portanto essa é a tendência das taxas de juros reais do Brasil, porém, para esta coluna é de que ela se estabilize em torno de 8% ao ano e não em 9% ao ano até o final do ano de 2024.

Quando se analisa a curva de juros do Brasil para os próximos anos, o mercado oscilou para cima as suas previsões: janeiro de 2025 em 9,95%; janeiro de 2026 em 9,87%; janeiro de 2027 em 10,1%; janeiro de 2028 em 10,375%; janeiro de 2029 em 10,56% e janeiro de 2034 em 10,87%,
(Cotações – Juros Futuros – Ferramentas | InfoMoney), os juros reais inclusos nessas taxas são de 6,25% ao ano. Já as taxas dos títulos dos Estados Unidos foram negociadas para 2 anos é de 4,596% e para 10 anos é de 4,241% ao ano, apresentando redução em relação à semana anterior.

Ainda pelo relatório Focus as previsões do resultado primários foram, 2024 de -0,75% do PIB, 2025 de -0,60%, 2026 de -0,50% e 2027 de -0,30%.

Abaixo, a tabela das projeções dos indicadores econômicos para 2024 com a atualização do Relatório Focus e a manutenção da coluna. O que se constata que o cenário positivo da economia brasileira está influenciando, a cada semana, a melhora das projeções do relatório Focus.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Marcos Freitas Pereira 

Natural de São Paulo, acumula mais de 40 anos de experiência no mercado. Doutorando em Turismo, Mestre em Finanças e economista. Fundador e atual sócio da AM Investimentos e Participações que investe em clínicas médicas, turismo, gastronomia e lazer e entretenimento. Foi também fundador da WAM Brasil maior comercializadora de multipropriedade turismo imobiliário do mundo.

Deixe um comentário