Na Tecnoshow, OCB/GO destaca as maiores preocupações do setor produtivo

Você está visualizando atualmente Na Tecnoshow, OCB/GO destaca as maiores preocupações do setor produtivo
(Crédito: Cristiano Borges)

Representando o cooperativismo goiano e brasileiro na abertura da Tecnoshow Comigo 2023,  na manhã desta segunda-feira (27/03),  Luís Alberto Pereira,  presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas  Brasileiras no Estado de Goiás (Sistema OCB/GO), ressaltou em seu discurso as cinco maiores preocupações do cooperativismo goiano. São elas a necessidade de ampliação do crédito, com juros adequados para o setor produtivo, a superação dos gargalos de infraestrutura, aprimoramento dos marcos regulatórios, responsabilidade fiscal e a reforma tributária.

Luís Alberto, que também foi nomeado recentemente integrante do Conselho Gestor do Fundo Estadual de Infraestrutura (Fundeinfra),  ressaltou a necessidade da ampliação dos recursos destinados ao custeio e financiamento, com juros compatíveis com a realidade do País, para que haja incentivo ao investimento, e acrescentou que as cooperativas de crédito podem fazer parte dessa solução. Sobre as questões relacionadas à infraestrutura, disse ser  urgente a superação dos gargalos, principalmente em relação ao fornecimento de energia,  e investimentos em transporte e saneamento básico, para que o Brasil possa crescer de forma sustentável.

 A respeito do aprimoramento dos marcos regulatórios, o dirigente enfatizou que o Brasil ainda precisa avançar muito para ter um ambiente de negócios favorável aos investimentos do capital privado nacional e estrangeiro. “Qualquer retrocesso nos marcos regulatórios seria o pior dos mundos neste momento”, afirmou.

Ao abordar o tema responsabilidade fiscal, o dirigente comparou o gasto público ineficiente e populista à saúva, praga que, se não combatida, causa grandes prejuízos econômicos.  Sobre a Reforma Tributária, Luís Alberto destacou que é  preciso ficar atento para que a cadeia produtiva não seja onerada ao ponto de  perder competitividade. “No mesmo sentido, devemos lutar para que a Reforma Tributária, se vier, contenha regras definidas e que conceitue o ato cooperativo de forma clara e inequívoca, sem aumento de carga tributária”, pontuou.

Luís Alberto Pereira ainda participou, no período da tarde, da reunião de instalação do Conselho do Fundo Estadual de Infraestrutura (Fundeinfra),  oportunidade em que foi apresentado o fluxo de trabalho do fundo e discutidas as principais obras que serão analisadas e priorizadas pelo conselho gestor. A reunião também contou com a participação do governador do Estado, Ronaldo Caiado.

Comigo é exemplo

A abertura da Tecnoshow Comigo 2023, que completa 20 anos nesta edição, contou com a participação do governador do Estado, Ronaldo Caiado, entre diversas autoridades estaduais, federais e municipais. O chefe do Executivo estadual, ao celebrar a força do agronegócio em Rio Verde e em todo o Estado, ressaltou  que o “cooperativismo é o melhor caminho para enfrentar as dificuldades e o cooperativismo goiano, por meio da Comigo, dá exemplo para todo Brasil”, destacou.

Presidente da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo), organizadora da Tecnoshow, Antonio Chavaglia abriu a solenidade lembrando a primeira edição da feira, há 20 anos, quando a produção de grãos era de 30 milhões de toneladas. “Tivemos uma evolução para 300 milhões de toneladas. As tecnologias fizeram isso. O produtor acreditou, investiu e vai continuar investindo em conhecimento. Sem conhecimento daquilo que faz ninguém consegue ter sucesso”, frisou o dirigente.

Números da feira

A expectativa da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo) é que mais de 130 mil pessoas visitem a feira nos cinco dias do evento, de hoje (27/03) até sexta-feira, (31/03) em busca de informação, tecnologia, inovação e negócios voltados para o campo e que impactam positivamente as cidades. Na edição passada, o volume de negócios realizados na feira ultrapassou R$ 10,6 bilhões.