Estágio: início de carreira e complemento de renda

No momento você está vendo Estágio: início de carreira e complemento de renda

O estágio é a grande oportunidade para os estudantes iniciarem a carreira na área em que estão cursando, além de propiciar a vivência, na prática, a teoria de sala de aula. É também uma forma de bancar os próprios estudos e ajudar na renda familiar, já que a remuneração pode ser maior até que o salário mínimo.

O Instituto Euvaldo Lodi (IEL Goiás) fechou 2018 com 19.013 vagas de estágio preenchidas – 12% a mais que em 2017 – e estima terminar 2019 com crescimento de 10% a 15%. Atualmente, o Instituto possui 500 vagas abertas, das quais a maioria nas áreas de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Publicidade e Propaganda, além do Ensino Médio.

Trata-se de um crescimento de 6% no número de vagas abertas se comparado com o mesmo período de 2017. Janeiro é um bom momento para a busca do estágio. Além de ser uma época em que inúmeros contratos vencem, as férias marcam uma diminuição na procura, o que diminui a concorrência por consequência.
A Lei Federal de Estágio (11.788/08) estipula que deva ser pago ao estagiário – para os estágios não obrigatórios – uma bolsa (salário) + auxílio transporte. Não são estipulados em lei piso nem teto. Porém, os valores podem ser negociados entre empresa e estagiário. Em geral, a faixa de valores de bolsas para estudantes de nível superior fica entre R$ 750,00 a R$ 1.000,00 – para carga horária de 30 horas semanais – e de R$ 600,00 a R$ 700,00 – para 20 horas semanais. Estudantes de nível médio ou técnico recebem, em média, R$ 750,00 (30h) e R$ 550,00 (20h).

“A experiência do estágio contribui nos relacionamentos interpessoais, oportuniza ao estudante extrair benefícios dos erros, possibilita uma futura colocação no mercado de trabalho e, principalmente, propicia uma análise se esta é realmente a profissão que deseja exercer nos próximos anos”, explica Tarciana Nascimento, Gerente de Desenvolvimento Profissional do IEL Goiás.

“Muitos estagiários utilizam os recursos da bolsa de estágio para complementar a renda familiar ou mesmo custear as mensalidades escolares parcial ou integralmente. Em tempos de crise e desemprego, há estagiários que chegam a ser a salvação financeira da própria família”, completa Tarciana.

Sobre o IEL/GO

Instituto Euvaldo Lodi (IEL/GO), é uma associação civil, sem fins lucrativos, criado em Goiás há 49 anos pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) para desenvolver a integração indústria-universidade. O Programa de Estágio, implantado em 1971, é um dos mais conceituados do Brasil e carro-chefe da instituição, que tem como missão transformar organizações e pessoas por meio da inovação, além de ser referência em soluções inovadoras no Estado de Goiás.

*Foto: Reprodução/ nappy.co (@liwordson)

Deixe um comentário