Cesta básica de Goiânia está entre as dez mais caras do Brasil

Você está visualizando atualmente Cesta básica de Goiânia está entre as dez mais caras do Brasil
Entretanto, preço na capital goiana apresentou maior queda entre as cidades pesquisadas (Crédito da imagem: Freepik/jcomp)

Com retração de -2,23% entre maio e junho de 2021, Goiânia está em primeiro lugar entre as capitais que apresentaram queda no preço da cesta básica. Além da cidade goiana, estão na lista também São Paulo (-1,51%), Belo Horizonte (-1,49%) e Campo Grande (-1,43%). O custo médio aumentou em oito municípios e diminuiu em nove. Os dados foram divulgados hoje (6) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Ainda assim, a cesta básica de Goiânia (R$551,49) está em nono lugar entre as dez mais caras do Brasil. O valor mais alto foi encontrado em Florianópolis (SC), R$645,38. Ao comparar junho de 2020 e junho de 2021, o preço do conjunto de alimentos básicos subiu em todas as capitais que fazem parte do levantamento.

De acordo com o DIEESE, o salário mínimo necessário deveria ser equivalente a R$ 5.421,84, valor que corresponde a 4,93 vezes o piso nacional vigente, de R$ 1.100,00. O cálculo é feito levando em consideração uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças.

Principais variações

Entre maio e junho deste ano, o litro do leite integral subiu em 16 capitais e o quilo da manteiga, em 12 cidades. A baixa oferta de leite no campo e os altos custos de produção elevaram os preços dos derivados no varejo.

Além disso, o valor médio do quilo da carne bovina de primeira registrou alta em 14 cidades em relação a maio. O preço médio do óleo de soja subiu em 14 capitais e o preço médio da banana recuou também em 14 cidades.

A forte demanda externa chinesa, os altos custos de produção e a oferta enxuta de animal para abate são os motivos do aumento da carne bovina de primeira. Enquanto apesar do recuo nos preços da soja, devido às desvalorizações do dólar e à menor demanda de óleo para produção de biocombustível, no varejo, o produto seguiu em movimento de alta. Por fim, com o frio, o ritmo de colheita da banana nanica diminuiu, o que acabou reduzindo a intensidade da queda de preços dos meses anteriores. A oferta da banana prata aumentou e as cotações baixaram.