Administradora de hotéis dribla a crise e cresce acima da média

Você está visualizando atualmente Administradora de hotéis dribla a crise e cresce acima da média

Enquanto o Setor Hoteleiro ainda retorna aos trilhos do crescimento, após a crise econômica iniciada em 2014, uma administradora de hotéis em Goiás coleciona números positivos e um crescimento de dar inveja a outros setores da economia. A Vivence Hotéis nasceu em 2008 e no auge da crise assumiu o Ecologic Ville Resort, em Caldas Novas. Segundo Vanessa Morales, diretora da Vivence Hotéis, na época o cenário não era animador. A administradora assumiu o Resort com 90% de índice de inadimplência, mesmo assim conseguiu reverter o prognóstico negativo e chegou a faturar R$ 4,5 milhões na alta temporada.

“Foi desafiador. Mas adotamos três tripés que fizeram toda a diferença. Fizemos uma gestão enxuta, transparente e focada. Com onze meses à frente da administração, os sócios que antes só tinham custos, passaram a ter lucro e não mais pagar a taxa de condomínio”, conta Morales. A iniciativa agradou principalmente os sócios do empreendimento que, até então, só tinham custos. “Ter uma administradora fez muita diferença. Nós estávamos a beira do caos. A avaliação que eu tenho é que eles entraram e profissionalizaram todas as áreas”, afirma Lu Salatiel, empresária.

Entre 2015 e fevereiro de 2018, a perda de faturamento do turismo no Brasil chegou a R$ 157 bilhões. Nesse período, muitos turistas cancelaram as longas viagens de férias e passaram a optar por viagens mais curtas, de fins de semana e com destinos mais próximos. De olho nesse cenário, a Vivence investiu em festivais gastronômicos, grandes parcerias e eventos para atrair o público. No carnaval de 2017, por exemplo, a festa no Resort foi embalada pelo DJ Alok. “Outra estratégia foi investir no turismo infantil. O resort oferece muitas possibilidades para as crianças se divertirem. Fizemos um trabalho de marketing voltado para a família”, conta Vanessa.

As iniciativas agradaram sócios e prestadores de serviço. “Foi uma administração preocupada em aumentar o número de hospedagem e com isso dar mais vantagens para os proprietários dos apartamentos”, afirma Torres, empresário.

O turismo responde por 8% do emprego formal no país. Entre 2015 e 2017, cerca de 7 mil estabelecimentos de hospedagem fecharam as portas em todo o país, encerrando milhares de postos de trabalho formal. Na contramão dessa realidade, o Ecologic Ville ampliou sua capacidade de atendimento ao turista. Em 2016, a Vivence implementou o sistema All Inclusive, pacote que inclui bebida e alimentação. “Investimos em pratos elaborados e a disponibilização de pontos estratégicos de bebidas com a finalidade de atender da melhor maneira os hóspedes com alto nível de exigência”, lembra Vanessa.

Futuro

Baseados nos dados da Organização Mundial do Turismo (OMT), o cenário é positivo. O turismo vai continuar crescendo em todo o mundo nos próximos anos. Com o intuito de aplicar o que aprendeu a frente do Ecologic Ville, a empresária Vanessa Morales, a pedido de amigos, aceitou o desafio de concorrer à presidência da Associação Brasileira da Indústria de Turismo (ABIH). Ela é a primeira mulher a concorrer o cargo em 82 anos. A iniciativa animou o setor hoteleiro. “Acredito na candidatura da Vanessa por conhecer seu trabalho à frente Abih Go e seu potencial em aglutinar todos a fazer um trabalho com transparência e competência para reerguer nossa Abih Nacional”, avalia Luciano Carneiro, atual vice-presidente da ABIH.